Quase todo mundo imagina que os negócios no ramo imobiliário giram em torno da compra, venda e locação de imóveis residenciais e, em menor quantidade, de imóveis comerciais. Mas a corretagem é uma atividade ampla e existem outros nichos de mercado que podem oferecer grandes oportunidades de comercialização. É o caso, por exemplo, dos imóveis industriais.

Galpões, terrenos e edificações destinadas ao suporte de maquinário e linhas de produção diversas eventualmente conseguem atender às necessidades e expectativas de clientes muito específicos, e é importante aprender a lidar com esse tipo de venda. Você está bem preparado para trabalhar com a corretagem de imóveis industriais?

Identificando o perfil do cliente

O público que busca adquirir imóveis industriais apresenta demandas diferentes das pessoas que estão à procura de ambientes para morar ou simplesmente instalar pontos de comércio e empreendimentos pessoais. Ou seja, o perfil dessa clientela é bastante distinto, estabelecendo necessidades que estão voltadas para circunstâncias particulares, a depender das atividades a serem desenvolvidas no local.

Existem empresas, por exemplo, que demandam espaços mais amplos e sinalizados para carga e descarga de materiais, enormes armazéns para se fazer o armazenamento de produtos e até depósitos distantes da área residencial, reservados para acumular detritos químicos e tóxicos e posteriormente dispensá-los. Esses imóveis devem ainda atender a certas demandas logísticas, facilitando a chegada e a distribuição de produtos, bem como a propagação dos serviços que a empresa que será instalada oferece. O corretor precisa verificar se os terrenos que está negociando se harmonizariam a tais demandas, inclusive se estariam propensos a dar cabo das legislações diversas da atividade industrial pretendida, a fim de não perder tempo com negociações infrutíferas.

Aprimore seu conhecimento técnico sobre o ramo

Como qualquer atividade laboral, a corretagem dos imóveis industriais exige que o profissional aprimore seus conhecimentos acerca do setor, a fim de dialogar de maneira mais corrente e bem fundamentada com os clientes em potencial e demonstrar com segurança as vantagens do imóvel para o tipo de atividade que se pretende implementar. O cliente precisa ficar convencido de que a localidade apresentada será compatível com as exigências determinadas pelo seu empreendimento.

Dentre essas necessidades, não há somente aspectos legais e espaciais a serem levados em consideração, mas há também questões temporais importantes. Às vezes o imóvel está pouco preparado para o funcionamento do negócio, apesar de oferecer o espaço perfeito para isso, porque carece de vários ajustes e montagem de infraestrutura, a ponto de atrasar em muito o planejamento do empresário industrial. Todos esses aspectos devem ser avaliados com calma, e o corretor precisa estar disposto a demonstrar as soluções mais coerentes com os processos técnicos e expectativas do cliente.

Afinal de contas, nem sempre um investimento menos oneroso no imóvel para instalação da fábrica ou indústria pode ser vantajoso para o cliente. Perdas de prazo e atrasos na entrega, por exemplo, podem determinar prejuízos importantes para a empresa, talvez até perdendo as vendas e os clientes.

Frequentemente, a corretagem de imóveis industriais movimenta maiores somas de dinheiro investido, e por isso a responsabilidade envolvida no negócio é grande. Essa ocupação requer mais obstinação, vigilância e diversas capacitações do corretor. Mas ela poderá trazer muita satisfação – e uma excelente comissão!

E você, tem experiência com a venda de imóveis industriais? Compartilhe suas opiniões conosco e ajude outros corretores a entender mais sobre essa área!

Para saber mais sobre o BemDireto siga por aqui e confira como captar clientes reais e fazer parcerias rentáveis.

Comente aqui