Quando falamos sobre a atividade de corretagem imobiliária, logo vem à mente das pessoas a compra e a venda de imóveis. Mas corretores fazem muito mais do que isso, e uma das tarefas mais importantes que eles praticam é a avaliação de imóveis, o que demanda não somente um cabedal de conhecimentos sobre o mercado, como também um alto poder de análise e bom senso, para que as estimativas sejam imparciais e bem precisas. Esta fase da negociação é tão relevante que pode até ser exercitada como uma atividade profissional única, de modo que a empresa ou o corretor contratado cuide apenas da avaliação das habitações a serem vendidas. Entenda por que esse ramo é uma área promissora dentro da corretagem!

Em que consiste a avaliação de imóveis

Avaliar o patrimônio de alguém é um serviço complexo, que exige seriedade e capacidade de quem está à frente de tal ocupação. É por isso que o serviço de avaliação existe: para que sejam apreciadas todas as características do bem analisado, aferindo-se suas vantagens e seus valores, a ponto de se chegar a um valor justo e permitir que seja realizado o melhor negócio para ambas as partes interessadas.

Quando um cliente procura uma imobiliária para vender seu imóvel, é comum que a empresa não cobre para fazer a avaliação de sua propriedade. Mas, sobretudo se ele não ficar satisfeito com o valor apontado pela imobiliária, poderá contratar um corretor por fora para que este faça uma avaliação independente, podendo emitir seu parecer por escrito. Na comercialização de imóveis usados, que é cheia de propostas e contrapropostas, ter a confiança em um valor estimado em um parecer técnico e criterioso pode ser bastante conveniente.

O que uma avaliação bem-feita leva em consideração

Vários aspectos são levados em conta na hora de avaliar um imóvel, desde sua localização até o estado de conservação do lugar. Mas existem outras diversas causas de variação do valor, como a quantidade de melhorias e benfeitorias da habitação, se existem serviços instalados no condomínio, entre outros aspectos. Independentemente do caso, é importante entender que o valor não é uma particularidade do bem avaliado, mas varia no tempo, e por isso deve ser considerado apenas em determinado momento.

Normalmente o corretor usa técnicas de comparação entre imóveis semelhantes para chegar a um valor mais preciso e corrente na região. Mas outros métodos de avaliação também podem ser empregados, como o de renda, o comparativo do custo de reprodução, o involutivo e ainda o chamado residual, dependendo da situação.

Por que a avaliação de imóveis é um segmento promissor

Com o aquecimento ocorrido no mercado imobiliário nos últimos anos, não só por causa dos eventos esportivos de que o Brasil foi e ainda será sede, mas também por conta do aumento da capacidade econômica de certas classes socioeconômicas de baixa e média potencialidade e dos incentivos governamentais para a compra de um apartamento ou casa própria. Em meio a tantas movimentações de mercado e os diferentes fatores sobre os quais deve raciocinar, torna-se complicado definir um valor justo para um imóvel. Assim, quem precisa fazê-lo, tendo o objetivo de vender sua casa ou apartamento, acaba precisando contar com a ajuda de um profissional gabaritado para avaliar de forma correta seu imóvel. A melhor solução, neste caso, é consultar um corretor de imóveis qualificado, que vai lhe dar toda a atenção que precisa e prestar um serviço privilegiado.

Agora que você já sabe sobre a importância de uma adequada avaliação de imóveis e da maior valorização desta atividade no mercado imobiliário, já pensou em aperfeiçoar-se nesse ramo e direcionar sua carreira neste caminho? Quais têm sido suas experiências de avaliação? Conte-nos suas práticas, nos comentários!

Quer saber mais sobre o BemDireto? Confira aqui todas as oportunidades para gerar novos negócios.

Comente aqui