Do mesmo jeito que um bom vendedor pode agregar características pessoais que favoreçam a saída dos produtos com os quais trabalha, existem traços de personalidade que podem afastar os clientes e dificultar sobremaneira a concretização dos negócios. Como em qualquer domínio comercial, na corretagem os profissionais devem ficar atentos ao relacionamento pessoal, ao apropriado atendimento e às maneiras de se comportar diante do cliente. Portanto, entenda algumas características pessoais que podem ser prejudiciais na sua atuação como corretor.

Ter excesso de confiança

Tentar se antecipar a certos comportamentos do cliente faz parte do desempenho do corretor de sucesso. Mas deixar de fazer uma correta análise de perfil e de procurar satisfazer àquilo que o cliente necessita, confiando na repetição da boa performance alcançada em situações anteriores, pode gerar um caminho de declínio nas vendas e de descontentamento crescente do público. Humildade e prestabilidade quase nunca são demais.

Ter excesso de autocobrança

O desejo de lucrar mais e de melhorar rapidamente pode criar uma circunstância de extrema cobrança consigo mesmo. Isso pode gerar forte estresse, tensões diversas – até com os colegas de trabalho –, baixa autoestima, impaciência e frustrações. Essa condição emocional poderá impactar negativamente no atendimento aos clientes.

Ser inflexível

Permanecer rígido e inflexível em suas crenças e comportamentos relacionados às vendas, ao atendimento ao cliente, técnicas e dinâmicas do mercado, argumentos e sugestões recebidas, mesmo diante dos eventos que demonstram a necessidade de mudanças, só vai afastar ainda mais os clientes em potencial e colegas de trabalho.

Não saber ouvir

Ouvir com atenção e responsabilidade é essencial não somente para traçar os perfis de quem atende de forma adequada, mas também para conseguir entusiasmar uma boa relação com a clientela, produzir um ambiente de trabalho saudável, e ainda ter subsídios para repensar suas condutas e dialogar com mais qualificação, a fim de contornar eventuais objeções.

Mostrar-se desinteressado

Ainda que você cumpra suas atividades com o intuito de preencher as necessidades de seus clientes, não evidenciar isso para eles é um erro. Não seja inoportuno, mas entre em contato de vez em quando para demonstrar que está em busca do imóvel que eles desejam, ou seja, que você está trabalhando em prol do benefício deles.

Ser inerte

Não se mexer ou empenhar esforços para satisfazer os clientes, pensando que o mercado vai resolver suas buscas imobiliárias sozinho, como em um passe de mágica, ao longo do tempo vai afastá-los de sua mesa de trabalho. Seja proativo e manifeste sua capacidade de agir.

Não refletir sobre si mesmo

Receber um feedback negativo de um superior hierárquico na empresa imobiliária ou perceber condutas que não estejam dando certo, e mesmo assim conservar o que não está adequado, sem parar para refletir onde pode melhorar, pode não só afugentar os clientes como ainda custar-lhe o emprego. Considere os pontos que precisam ser melhorados, esquadrinhe novas capacitações, anime sua energia interpessoal. Não fique afobado ou melancólico, nem se deixe abater, mas esforce-se para melhorar.

Alguma vez já recebeu a observação de que tem ou tinha alguma característica pessoal que precisaria mudar para conseguir mais clientes? Como foi a sua experiência? Conte para nós!

Para saber mais sobre o BemDireto siga por aqui e confira como captar clientes reais e fazer parcerias rentáveis.

Comente aqui